No Chile: 90% votam pelo fim de concessão dos serviços de água à empresa privada

Em 12 de janeiro foi realizada consulta pública aos cidadãos de Osorno (Chile) sobre o encerramento da concessão do serviço de água à empresa privada Essal. Os resultados indicam que mais de 90% dos participantes do plebiscito votaram a favor do término da concessão. A empresa foi a geradora da crise na qual a região de Osorno ficou mais de 10 dias sem água, em 2019.

MPT emite decisão acerca de denúncia contra o SAEMAC


Cabe aqui alguns esclarecimentos a cerca de uma denúncia anônima contra o SAEMAC, feita junto ao Ministério Público do Trabalho, por um trabalhador da SANEPAR, representado por esta Entidade Sindical, questionando a forma de pagamento da Ação referente ao Plano de Saúde - SANESAÚDE, e o fato de ter de se deslocar até a Sede do Sindicato, em Cascavel para efetuar o recebimento do valor, alegando haver distinção entre ASSOCIADOS e REPRESENTADOS.

Diante desta alegação, a Procuradora do Trabalho, Andrea Lino Lopes, indeferiu o pedido de intervenção do MPT, e afirmou que não houve distinção dos trabalhadores se associados ou não quando do ajuizamento da ação, apenas quanto à data e ao local de pagamento, sendo esta uma questão de organização interna sobre a qual o Sindicato tem total autonomia de definir como proceder.

Portanto, nobres trabalhadores, podem ficar tranquilos! Em breve vamos divulgar todas as informações e orientações a cerca desta segunda etapa de pagamento. No momento oportuno, todos aqueles contemplados na referida ação, vão receber o que lhes é de direito.

Reiteramos que nestes mais de 20 anos de atuação Sindical, o SAEMAC, sempre desempenhou o seu trabalho com integridade, ética e respeito. Com o objetivo de garantir que os trabalhadores não sejam lesados e que tenham seus direitos assegurados visando melhorias constantes na qualidade de trabalho saúde e vida.

Marcada reunião de mediação com o MPT para tratar dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade


Está marcada para o dia 07 de fevereiro, ás 15h30, a reunião de mediação entre o Ministério Público do Trabalho e representantes das Entidades Sindicais Signatárias e da SANEPAR para tratar e tentar estabelecer um acordo a cerca do recadastramento de insalubridade e periculosidade.

Diretoria da SANEPAR ainda não se posicionou sobre o ACT 2020/2021

Há pouco mais de um mês, no dia 18 de dezembro de 2019, os Sindicatos Majoritários (SAEMAC, SINDAEL, SINDAEN E STAEMCP) efetuaram o protocolo da Pauta de Reivindicações Unificada junto à Diretoria da Empresa visando a Renovação do Acordo Coletivo de Trabalho para o período compreendido entre 1º de março de 2020 e 28 de fevereiro de 2021. 

Trabalho intermitente paga menos que o salário mínimo para o trabalhador

Dados do Boletim Emprego em Pauta, do Dieese, mostram que, ao contrário do que afirmavam os apoiadores da “reforma” trabalhista, do governo de Michel Temer, o contrato intermitente não criou “milhões de empregos”. Ao contrário, “legalizou a precarização e a informalidade” no mercado de trabalho. A análise é do diretor técnico da entidade intersindical, Clemente Ganz Lúcio, em entrevista ao jornalista Glauco Faria, da Rádio Brasil Atual.

Acidente de trabalho reforça a importância dos Adicionais de Insalubridade e Periculosidade


A Técnica Operacional, Cindi Cristina da Silva, 24 anos, sofreu um acidente de trabalho na manhã desta quinta-feira, dia 09, na ETA Rio Verde, em Campo Largo.

Com valor muito aquém do esperado, novo salário mínimo nacional entrou em vigor em 1º de janeiro


Começou a valer no dia 1º de janeiro o novo salário mínimo nacional, que agora é de R$ 1.039. O valor representa um aumento de 4,10% em comparação com os R$ 998 vigentes em 2019, e serve de referência para 49 milhões de pessoas, segundo informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Carteira verde amarela pode estimular demissão e substituição de empregados


O desemprego em alta, jovens sem perspectivas, um país paralisado. Como "proposta" para mudar esse cenário, o governo criou a carteira verde e amarela, que isenta empresas de recolher tributos e reduz ou retira direitos dos trabalhadores. Isso pode dar certo?

Trabalhadores ouvidos pela reportagem não têm noção do que está em jogo com a edição da Medida Provisória 905, que cria o contrato ou carteira de trabalho "verde e amarelo". Demonstram conhecer pouco as mudanças embutidas na medida, que passa a valer até que seja votada, alterada ou rejeitada pelo Congresso.

A pretexto de reduzir o custo do trabalho para criar empregos, assim como a "reforma trabalhista", de 2017, a MP 905 reduz, restringe ou elimina uma série de direitos – reduz o recolhimento do Fundo de Garantia e a multa em caso de demissão, cobra tarifa do trabalhador desempregado, elimina pagamento por jornadas em dias e horários extraordinários, inclusive fins de semana. 

Para o economista Adhemar Mineiro, do Dieese, assim como a "reforma" trabalhista, a carteira verde de amarela não tem condições de promover crescimento de empregos de qualidade e promover uma melhora da economia. Ele alerta que a MP 905 cria uma possibilidade de substituição de até 20% dos atuais empregados, com direitos regulamentados, por novos funcionários, com direitos reduzidos. "Pode aumentar a demissões", afirma.

Em meio a um ambiente de desemprego, em que os trabalhadores, sobretudo os jovens, passam muito tempo à procura de uma vaga, as pessoas tendem a aceitar qualquer coisa.

"Ao flexibilizar a legislação e os direitos, se houver um segundo momento de recuperação de economia haverá uma onda de criação de empregos de baixa qualidade. Gerar empregos depende da atividade econômica. Mas gerar bons empregos e trabalho decente depende de uma legislação", observa o economista Adhemar Mineiro.

Projeto que leva a privatização do saneamento põe o Brasil na contramão do mundo

O projeto aprovado na Câmara dos Deputados leva a privatização do sistema de saneamento básico e põe o Brasil num caminho que já fracassou em diversos países do mundo. A Câmara concluiu no dia 17 de dezembro a votação do marco legal do saneamento básico. O projeto do Executivo (PL 4.162/19) altera a Lei 9.984, de 2000, facilita a transferência de estatais do setor para agentes privados e prorroga o prazo para o fim dos lixões no país.

ACT 2020/2021: Ano Novo, Velha Preocupação


O ano de 2020 já começou e a preocupação dos saneparianos neste momento é a mesma que em anos anteriores, a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho.

Câmara conclui votação do projeto de saneamento, que vai ao Senado

A Câmara dos Deputados terminou de votar nesta terça-feira (17) os destaques ao projeto de lei que altera o marco do saneamento básico. Todas as sugestões de alterações ao texto principal votadas hoje foram rejeitadas. O PL vai para análise do Senado, que pretende votar no início de 2020.

Agradecimento aos trabalhadores pela participação no Ato do Dia 18

Ainda por ocasião do Ato realizado na manhã desta quarta-feira, dia 18, cabe aqui um agradecimento a todos os trabalhadores que atenderam a convocação do SAEMAC, paralisaram suas atividades e arregaçaram as mangas.


ACT 2020/2021: Protocolada a Pauta de Reivindicações Unificada


Dando continuidade aos trâmites normais e legais visando à renovação do ACT, na última terça-feira, em Curitiba, foi realizada a reunião entre os Sindicatos Majoritários (SAEMAC, SINDAEL, SINDAEN E STAEMCP) para unificação da Pauta de Reivindicações, cujo protocolo se deu na tarde de ontem, dia 18 de dezembro.