SAEMAC BATE O PÉ E TRABALHADOR NÃO PRECISA MAIS TER SUA PRIVACIDADE INVADIDA NA RECEITA FEDERAL

Empresa aceitou alternativas sugeridas  pelo Sindicato para a declaração de bens

A Sanepar concordou com a sugestão do Sindicato e vai possibilitar que a declaração de bens possa ser realizada através de formulário seguindo os moldes da Lei de Improbidade Administrativa. Os trabalhadores devem aguardar a  empresa disponibilizar o formulário para que os trabalhadores possam preencher e fazer sua declaração de bens de próprio punho.  Outra opção, também sugerida pelo SAEMAC e também acatada pela empresa, é  a entrega da declaração do Imposto de Renda. 

Desse modo, o Sindicato continua orientando ao trabalhador para não assinar nenhuma autorização de acesso livre e irrestrito aos seu banco de dados na Receita Federal, preservando desse modo sua privacidade. Estamos na luta.


AMIGO DA ONÇA: NA HORA DA ELEIÇÃO É UM LEÃO AMIGO DOS TRABALHADORES; DEPOIS DE ELEITO VIRA UM GATINHO AMIGO DA EMPRESA



        É fato que no  grupo de conselheiros da Fundação tem gente boa,  séria e sempre disposta a ajudar,  junto com as entidades sindicais, na luta por melhores condições para os trabalhadores. Mas, como em todo lugar, vale o princípio bíblico:  Onde está a boa semente, também está o joio. Para nosso lamento, tem também conselheiro que na hora da eleição posou de amigo dos trabalhadores e acabou muito bem votado por isso, mas já nas primeiras reuniões do conselho, mudou o discurso  e mostrou a que veio, defendendo posições contrárias a quem o elegeu. Uma trairagem da braba. 

Infelizmente, não dá para esperar muito de quem, além de conselheiro, é assistente da diretoria. Como está no bolso da diretoria, ele vai fazer de tudo para se manter lá. Nas reuniões às portas fechadas com a Sanepar, fala mal das entidades sindicais, age  sempre a favor da empresa e não cumpre com o papel para o qual foi eleito que é o de bem representar os trabalhadores. Além de não demonstrar entusiasmo nenhum com a defesa dos interesses dos trabalhadores, ainda fecha os olhos para maracutaias como a que alterou o estatuto para manter no cargo e perpetuar no poder quem não teria mais direito. Enfim, um verdadeiro puxa saco no bom e velho português. 

 É por isso que o trabalhador precisa sempre estar atento para analisar bem em quem depositar sua confiança. Nunca votar por entusiasmo, nem por aquele tapinha no ombro, pois pode estar levando uma facada nas costas. É preciso eleger quem realmente esteja comprometido com defender os trabalhadores. 

Mas estamos de olho e vamos  cobrar uma explicação em relação a esse comportamento. Nos próximos dias, caso continuem agindo mais por interesse pessoal do que pelo bem coletivo vamos dar nomes aos bois  para que se expliquem com os trabalhadores. Chega de trairagem! 

SUBSÍDIO 70\30: CONSELHO FRACO FEZ O TRABALHADOR PERDER ESSE DIREITO
Pra se ver a importância de termos pessoas sérias e comprometidas com os trabalhadores nos conselhos, lembramos da história do subsídio 70\30, que foi cortado dos trabalhadores em 2002. Quem entrou na Sanepar antes desse ano, ao aposentar-se tem o direito de que a empresa continue subsidiando  até 70% do seu plano de saúde. Esse era para ser um direito de todos, mas em 2002, na calada da noite, a Sanepar articulou com a Fundação para cortar esse benefício. Com um Conselho fraco e puxa saco da empresa, a medida passou, prejudicando todos os saneparianos que entraram na Sanepar depois daquele ano. Uma sacanagem da braba. 

E o nosso questionamento sobre esse assunto continua hoje em relação ao comportamento da diretoria da Fundação. Se realmente defendem tanto o trabalhador como dizem porque não entram na luta conosco para devolvermos esse benefício a todos os saneparianos? Afinal, vocês representam quem? Os trabalhadores ou a empresa? Tiraram o benefício na mão grande e agora se acham no direito de ainda querer permanecer no cargo como defensores dos trabalhadores. É muita cara de pau. É preciso que os trabalhadores exijam uma explicação sobre esse comportamento.


BREAKING NEWS: FUNDAÇÃO SANEPAR LANÇA DOIS NOVOS PROGRAMAS! TUDO PARA ETERNIZAR DIRETORES NO CARGO

A Fundação Sanepar lançou o PROGRAMA MELHOR IDADE para os amigos da Diretoria. O programa consiste em driblar o estatuto para manter os cargos de alguns Diretores. O programa,  também conhecido como MEU CARGO, MINHA VIDA,  vai  dar uma sobrevida funcional para aqueles Diretores da Fundação que saíram no PAI e deveriam também se desligar da Fundação Sanepar. Mas, na malandragem, alteraram o  estatuto da Fundação Sanepar  deixando-o com a rigidez de um palanque em banhado. Tudo  para se manterem no cargo. Pura ganância e uma lástima. Mas o SAEMAC está de olho e vamos pra luta! A Fundação Sanepar é de todos saneparianos e não pode servir para interesses pessoais. 


A VOLTA DOS QUE NÃO FORAM: CHEIRO DE MARACUTAIA NA FUNDAÇÃO

Já diz o ditado: “Pau que bate em Chico, bate em Francisco”. Pois é, na Sanepar, esse ditado só vale do portão para fora, pois dentro da empresa o ditado  é totalmente invertido: “Pau que bate  em Chico, NÃO BATE em Francisco”.  Ali, sempre é dois pesos, duas medidas. O que vale para o trabalhador, não vale para o diretor e vice e versa.  E essa prática não é só prerrogativa da Sanepar. Ela também se bandeia para os lados da Fundação. E aí, para defender os seus pares, parece que vale tudo. Até mudar o estatuto para continuar mantendo diretor que não quer largar o osso.  É isso mesmo que você leu. Sorrateiramente, mudaram o estatuto da Fundação para manter seus compadres na direção.  Tem diretor  que saiu no PAI e pela regra deveria deixar a Fundação. Mas, como o cara não queria largar o osso, baixou o espírito de Zé Carioca na turma e aí resolveram dar aquele jeitinho de mudar o Estatuto.

 Simplesmente vergonhosa essa atitude da diretoria.  É a volta dos que não foram. Os caras já estão a tempos sendo bancados pela Fundação para gerir nossa previdência e plano de saúde. E parecem que querem continuar pelo resto da vida.  Será que  dentre os cerca de 7 mil saneparianos não existem pessoas qualificadas para fazer a gestão  da nossa Fundação? Será que eles pensam que só eles é que  são aptos para a função? Essa atitude de mudar o estatuto, só evidencia a arrogância desse pessoal e mostra como sentaram em cima do cargo,  achando que podem fazer o que bem quiserem, muitas vezes ao preço do sacrifício de muita coisa para o trabalhador. Uma vergonha.  Já estamos preparando um ofício exigindo explicações e, se for, o caso, vamos para a Justiça para denunciar a malandragem e exigir respeito à regra e aos trabalhadores. Não vamos deixar barato. Zé carioca nenhum vai se criar na Fundação. Estamos de olho.


NOTA DE APOIO DO SAEMAC AOS PROFESSORES E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO PÚBLICA DO PARANÁ

O Sindicato dos Trabalhadores do Saneamento do Paraná (SAEMAC), vem manifestar seu apoio à luta dos professores e trabalhadores do ensino público  do Paraná contra a tentativa de precarização e sucateamento da educação promovido pelo governo do Estado.  Causa repulsa e indignação o descaso com que a educação está sendo tratada pelo governador Ratinho Junior e o secretário de educação, Renato Feder, que parecem mais preocupados em implantar uma agenda ideológica do que em trabalhar para melhorar o ensino público com a valorização dos profissionais da educação, a melhoria da infraestrutura e estimular de forma efetiva a participação da sociedade no processo educacional do estado. 

Deixamos aqui nosso profundo repúdio à falta de diálogo do governo com a categoria  e à tentativa de imposição de uma série de medidas que  sucateiam o sistema educacional, entre eles, o Edital 47\2020 que precariza o sistema de contratação de professores, causando desemprego e colocado em risco a vida de todos (já que o governo quer impor uma prova presencial no momento em que sobem no estado os casos  do COVID-19); a diminuição do número de vagas para professores, apesar do déficit de mais de 20 mil vagas  no setor em todo o estado;  e a  terceirização de várias funções no sistema público,  que irão provocar demissões e prejudicar o sistema de ensino. Isso sem contar o projeto de militarização de escolas, que nada mais é que uma peça de propaganda ideológica, pois apenas coloca um militar no comando da escola, mas em nada prevê a melhoria das condições de trabalho e de infraestrutura, além de acabar com o ensino noturno (regular e EJA – Educação de Jovens e Adultos), tirando a oportunidade de educação para alunos que precisam trabalhar. 

Enfim, reiteramos nosso apoio solidário à luta dos professores exigindo do governador Ratinho Junior que deixe o autoritarismo de lado e abra diálogo com a categoria. Ganha a Educação Pública e toda a sociedade paranaense. 

SAEMAC – SINDICATO DOS TRABALHADORES DO SANEAMENTO DO PARANÁ