SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE RESPONDE SAEMAC SOBRE PRIORIDADE DE VACINAÇÃO PARA OS TRABALHADORES DO SANEAMENTO

Enquanto Sindicato luta pela vacinação dos trabalhadores, diretoria da Sanepar dorme no ponto: falta de influência junto ao governo ou descaso com o trabalhador?

A Secretária Estadual de Saúde (SESA)  enviou resposta sobre a solicitação do Sindicato para incluir os trabalhadores do saneamento na lista prioritária da vacinação contra o Covid-19. Na reivindicação o Sindicato mostrou como os trabalhadores de atividades essenciais, onde estão encaixados os trabalhadores do saneamento, tem mais risco de se infectar com o covid-19. Segundo a pesquisa “Risco de Contágio por Ocupação no Brasil”, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), trabalhadores de atividades essenciais tem 50% mais de chance de contrair o vírus do que os trabalhadores de atividades normais porque estão mais vulneráveis devido à atividade que exercem. 

Mesmo com este argumento, a SESA  deixou claro que procura seguir as orientações  do Ministério da Saúde em seu plano estadual de imunização, cujo os trabalhadores do saneamento, inexplicavelmente,  não estão contemplados, conforme  a lista passada pela SESA (confira no ofício abaixo). Porém, a SESA deixou claro que alterações no plano podem ocorrer, inclusive,  com a inserção de novos grupos. 

DESCASO
Quem sabe se a Sanepar resolvesse entrar nessa luta junto com o Sindicato, a soma de forças traria mais resultados e conseguiríamos que a categoria de trabalhadores do saneamento entrassem na lista prioritária da vacina. Mas não! Enviamos oficio para a Sanepar  EM 15 DE JANEIRO, convidando para fazermos,  em conjunto, uma solicitação para a SESA pedindo a prioridade de vacinação para os trabalhadores do saneamento. Até agora estamos esperando resposta. A empresa simplesmente não se posicionou. Deu de ombros.

Há partir desse comportamento obscuro,  surgem alguns questionamentos: Será que a diretoria da empresa não tem nenhuma influência junto ao governo? Será que  Ratinho Junior simplesmente entregou o comando de uma das companhias mais importantes do Paraná nas mãos de gente em quem ele não confia? De qualquer um? Será que a diretoria está tão mal na fita assim que não tem voz nenhuma junto ao poder estadual? O que acontece nos bastidores? 

Não queremos acreditar que a diretoria não tenha influência junto ao governo.  Sendo assim, a explicação para o descaso da diretoria só pode ser que ela não  liga mesmo para trabalhadores da Sanepar. O que é vergonhoso. É preciso que a empresa se posicione. Saia da obscuridade sobre o assunto.

Não estamos pedindo nenhum privilégio. A reivindicação para que os trabalhadores do saneamento também tenham prioridade na vacinação é mais que justa, já que o saneamento e a distribuição de água são serviços essencialíssimos tanto para o combate à pandemia, como para a própria existência humana. Sem o trabalhador para tocar todo o sistema de saneamento, captação, tratamento e distribuição da água, a sociedade não gira. Para tudo. O Covid e outras doenças fazem a festa. 

Mas, infelizmente a Sanepar não parece preocupada com isso. Continua em marcha  lenta. Também no  dia 19 de março,  enviamos ofício solicitando atendimento remoto ao  público e implantação de escala de revezamento para os trabalhadores da manutenção de redes. Recebemos a resposta somente dez dias depois com a empresa dizendo que já implementou algumas medidas e que vai “analisar” ainda  as demais  “sugestões” do Sindicato. 

 Parece que está tudo bem para a Sanepar. Temos informações que já são mais de 700 saneparianos que contraíram a doença, sendo que vários, infelizmente, vieram à óbito, mas a empresa parece estar dentro da sua bolha, deitada em berço esplêndido. 

Precisamos que acordem. Que a diretoria abra os olhos. Entre na luta. Brigue pelo trabalhador que é quem carrega a companhia. Agora não é nenhuma discussão salarial e sim uma luta pela VIDA DOS TRABALHADORES: Uma causa urgente. 

Acorde diretoria. Fazemos novo apelo. Entrem na luta com a gente pela vacina. Nos ajude a pressionar o governo. Quanto mais rápido nossos trabalhadores estiverem imunizados, mais e melhores serviços poderemos prestar em prol da sociedade paranaense. Não estamos pedindo privilégio. É que o falamos acima: ninguém sobrevive sem água. Quanto menos esgoto tratado, mais proliferação de doenças. Sem trabalhadores  para tocar isso, o sistema não roda. Por isso a necessidade de priorização na vacinação. ACORDA SANEPAR. 

CONFIRA ABAIXO O OFÍCIO DA SESA EM RESPOSTA AO SINDICATO:









0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.