-->

APÓS PRESSÃO DAS CENTRAIS SINDICAIS, PISO MÍNIMO REGIONAL DO PARANÁ É REAJUSTADO COM AUMENTO REAL ENTRE 2,49% E 2,12% E CONTINUA COMO MAIOR DO BRASIL

Novos valores seguem a política de reajuste do salário mínimo nacional baseado na reposição da inflação mais o índice do PIB de dois anos antes


Uma conquista histórica para os trabalhadores do Paraná! Após pressão das Centrais Sindicais, o piso mínimo regional para o ano de 2024 terá aumento real entre 2,49%  e 2,12%. Dessa forma continuará como o maior do Brasil com valores variando entre R$ 1.856,94 e R$ 2.134,88.  O aumento só foi possível graças a atuação das Centrais Sindicais que bateram o pé na proposta de  basear o reajuste do piso regional na fórmula da política de valorização do salário mínimo nacional promulgada em 2023. O cálculo leva em conta a inflação do período (3,71%) mais o PIB de dois anos antes (3%).  

Na luta pela aprovação da proposta, as Centrais contaram com a assessoria do DIEESE.  Os novos valores passarão a valer assim que forem publicados no Diário Oficial do Paraná e serão retroativos á 1º de janeiro deste ano. 

Com o novo reajuste as faixas salarias do Piso Regional do Paraná ficam assim: 

GRUPO I – Trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca:  R$ 1.927,02 (reajuste de 6,08%, aumento real de 2,28%);

GRUPO II - Trabalhadores de serviços administrativos, trabalhadores dos serviços, vendedores do comércio em lojas e mercados e trabalhadores em reparação e manutenção: R$ 1.927,02 (reajuste de 6,08%, aumento real de 2,28%);

GRUPO III - Trabalhadores da produção de bens e serviços industriais: R$ 1.989,86 (reajuste de 6,00%, aumento real de 2,21%);

GRUPO IV - Técnicos de nível médio: R$ 2.134,88 (reajuste de 5,84%, aumento real de 2,06%).

MAIOR DO PAÍS
Proposta das Centrais Sindicais, o Piso Regional do Paraná foi instituído em 2004, pelo então governador Roberto Requião e, desde então, tem se mantido como o maior do país,  sendo uma referência para as categorias que não tem acordos ou convenções coletivas de trabalho ou para categorias que não possuem organização sindical. 


0 comments:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.