Governador admite possibilidade de privatizações de estatais paranaenses

Ratinho Junior, que no ultimo Pleito Eleitoral recebeu a confiança da maioria do eleitorado paranaense, mesmo antes de assumir já vem demonstrando como irá ser sua gestão frente a administração da economia do estado do Paraná.

Na ultima terça-feira, dia 27 de novembro, esteve em Nova York participando do Copel Investor Day, na bolsa americana. Em entrevista à Revista Valor Econômico, numa tentativa clara de movimentar o mercado e acalmar investidores e acionistas, mudou o seu discurso de campanha e admitiu que pode sim privatizar estatais paranaenses, entre elas a Copel Telecom e a Compagás. 

Se observarmos que a Copel Telecom vem obtendo ótimos resultados, com aumento significativo de assinantes, sendo reconhecida, inclusive, como uma das melhores operadoras de banda larga no Estado do Paraná, ou seja, uma Companhia em plena expansão, como é o caso, também, da Compagás a qual vem realizando constantes investimentos e ampliando os seus serviços de maneira bem significativa, percebemos que essa justificativa de que para essas duas empresas a privatização é necessária para gerar maior competitividade no mercado é mais do que questionável!

Segundo o futuro mandatário do Paraná, a COPEL e a SANEPAR não estariam na mira neste primeiro momento, mas como é possível observar, já houve a sinalização para a venda de ativos destas duas Companhias.

Como bem sabemos, a privatização sempre foi uma artimanha utilizada pelos governantes, na tentativa de equilibrar as contas públicas, na maioria das vezes abaladas por escândalos de corrupção e mau uso do dinheiro público, e para tentar solucionar a situação basta dar um “start” para que a onda de privatizações tome proporções ainda maiores. E quem ganha com isso? A população é que não será, não é mesmo?! Ninguém menos que a iniciativa privada a qual passará a gerenciar as maiores riquezas do nosso Estado.

Para a população resta o ônus de pagar o preço dessas decisões, as quais resultarão em aumento de tarifas e precariedade dos serviços prestados.

Outro ponto polêmico abordado por Ratinho Junior foi sobre a forma como irá gerir as Estatais. Segundo ele, iniciará pela redução do quadro de funcionários através da implantação de Programas como o PDV - Programa de Demissão Voluntária e PAI - Programa de Aposentadoria Incentivada, alem da Terceirização.

Nós do SAEMAC repudiamos toda e qualquer tentativa de privatização das estatais paranaenses. Em respeito aos trabalhadores e a população em geral e devido à sua extrema relevância, esperamos que tais temas sejam tratados com extrema cautela e bom senso por parte do Governo do Estado. Entendemos ainda, que deverá haver um maior incentivo ao desenvolvimento destas empresas, a fim de que os serviços por estas prestados, continuem sendo de maneira pública, com qualidade e acessibilidade para todos. 

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.