Servidores do Judiciário Federal e MPU entram em greve

Os servidores do Poder Judiciário Federal e do MPU (Ministério Público da União) entraram em greve por tempo indeterminado.  Os trabalhadores procuraram representantes do STF (Supremo Tribunal Federal) e da Presidência da República para negociar um reajuste de salário, com base na reposição inflacionária.

No Supremo, além de fazerem uma manifestação em frente à Corte, representantes do Sindjus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União no Distrito Federal) reuniram-se com o diretor-geral do STF, Amarildo Vieira de Oliveira. Eles pediram que a proposta de aumento seja encaminhada pelo Supremo à Presidência até o dia 15 de agosto para compor o Orçamento da União para 2015.

Enquanto seus representantes eram recebidos no STF, os servidores atravessaram a Praça dos Três Poderes e fecharam a avenida em frente ao Palácio do Planalto por cerca de 30 minutos. O objetivo, segundo eles, era pressionar a presidenta Dilma Rousseff para que não retire a previsão de reajuste do Orçamento de 2015. Em uma negociação para que os manifestantes desbloqueassem a rua, a Secretaria-Geral da Presidência informou que eles seriam recebidos por um representante ainda nesta quinta.

 De acordo com Fagner Azeredo, coordenador do Sintrajufe-RS (Sindicado dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Rio Grande do Sul), os servidores sofrem defasagem sob à inflação nos últimos oito anos que já ultrapassa 41%. “Nos últimos anos, 2010, 2011 e 2012, o Poder Executivo cortou o orçamento do Judiciário justamente na parte que toca o reajuste dos servidores do Judiciário Federal”.

Azeredo informou que os servidores de Brasília já entraram em greve nessa quarta-feira (6/8), mas a paralisação nacional do Judiciário Federal está marcada para o dia 14. “Se não tiver negociação salarial, não vai ter eleição. A Justiça Eleitoral vai parar junto conosco, vai estar nesta briga para conseguir uma valorização salarial para todos os servidores do judiciário”, ameaçou.

Segundo a Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal) e do Ministério Público, 19 sindicatos confirmaram presença no ato. A Polícia Militar do Distrito Federal informou que cerca de 400 pessoas bloquearam a via de acesso ao Planalto. Segundo Azeredo, mais de mil servidores participaram do protesto na Praça.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.