Leiturista está entre as profissões que perdem espaço no mercado de trabalho

Um estudo do portal de empregos norte-americano CareerCast identificou carreiras ameaçadas pelo avanço tecnológico e cujas contratações devem cair drasticamente nos próximos anos no mundo. O levantamento é baseado em dados coletados pelo Bureau of Labor Statistics (BLS) dos Estados Unidos.

Entre elas está a profissão de carteiro. Até 2022, o número de profissionais contratados deve cair 28% nos EUA. Outras atividades com menor expectativa de emprego são agente de viagem, comissário de bordo e agricultor.

As conclusões do estudo não são imediatamente aplicáveis ao mercado de trabalho no Brasil, mas evidenciam como a demanda por vagas de emprego é impactada pelo surgimento de novas tecnologias em um mundo cada vez mais mecanizado e globalizado. Veja abaixo:

Carteiro

A melhorias das comunicações por telefone e pela internet afeta profundamente o serviço de correios em todo o mundo, segundo o estudo. Num cenário em que a comunicação online avança cada vez mais rápido, as vagas de trabalho no setor de postagem caem drasticamente. Segundo a CareerCast, o número de contratação até 2022 deve diminuir 28%. Média salarial no Brasil: R$ 1.007.

Agricultor

Reflexo direto da mecanização no setor, é cada vez menor o número de pessoas necessárias para cuidar de lavouras. Especialmente em fazendas de médio e grande porte. As contratações no mercado norte-americano devem cair 19% nos próximos oito anos, de acordo com o levantamento.

Leiturista

A implementação de sistemas inteligentes (smart grids) para medir o consumo de água, energia e gás em residências e empresas permite fazer a leitura a distância sem ter que enviar funcionários para a checagem. A demanda por leituristas será 19% menor até 2022. Média salarial no Brasil: R$ 957.

Agente de viagens

Cada vez mais os turistas optam por planejar a própria viagem pela internet, aproveitando dicas de hospedagem de amigos e promoções de passagens aéreas e rodoviárias. Com isso, o número de contratações deve reduzir 12% até 2022. Média salarial no Brasil: R$ 1.488.

Lenhador

A exemplo da agricultura, o avanço tecnológico na indústria madeireira requer cada vez menos gente para trabalhar. Além disso, a demanda da indústria por papel e celulose está mais baixa. O resultado é uma queda de 9% na demanda por esses profissionais.

Comissário de bordo

A redução no número de voos e as fusões de companhias aéreas indicam um cenário de estagnação da indústria de aviação mundial. Dessa forma, a projeção de contratações é para uma diminuição de 7% na próxima década. Média salarial no Brasil: R$ 3.339.

Operador de perfuradora

Outra profissão impactada pelo avanço tecnológico, que faz com que menos trabalhadores sejam necessários nesta área. Hoje, muitos equipamentos são operados por robôs ou controle remoto. Até 2022, o número de contratações deve cair 6%.

Fiscal e coletor de impostos

A redução dos recursos das agências que contratam esses profissionais resultaram no declínio das contratações. Eles também são afetados pelos avanços tecnológicos. A demanda deve cair 4% até 2022.

Repórter de jornal impresso

O alto custo do papel e a popularização das mídias digitais devem impactar negativamente o volume de contratações dos jornais nos próximos oito anos. A previsão é de uma queda de 13%. Por outro lado, a plataforma online surge como novo mercado de trabalho para esses profissionais.

Funcionário de impressão gráfica

A digitalização de documentos exige cada vez menos papel e, consequentemente, uma quantidade menor de profissionais para executar as cópias e impressões. A expectativa de contratação nos próximos anos é de uma queda de 5%.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.