Após 78 dias, greve do IBGE termina

Servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aprovaram ontem o fim da greve no órgão, que se estendia desde 26 de maio, segundo o sindicato nacional dos trabalhadores do instituto, o ASSIBGE-SN.
Os grevistas realizaram assembleias regionais por todo o país entre segunda-feira e ontem. Todas decidiram pelo retorno ao trabalho a partir de hoje, conforme indicado pelo sindicato na semana passada.

Os servidores também votaram pela assinatura do acordo proposto pela direção do IBGE, que inclui a reposição dos dias de trabalho perdidos durante a paralisação e o pagamento dos salários cortados. O acordo foi assinado em reunião entre o sindicato e a direção do instituto, na manhã desta quarta-feira. Ao fim do encontro, a presidente do IBGE, Wasmália Bivar, receberá a imprensa para comentar o encerramento da greve.

Também serão constituídos dois grupos de trabalho com integrantes indicados pelo sindicato e pela direção do órgão: um tratará sobre um plano de carreira e valorização salarial de servidores, outro estudará a questão dos temporários. “Conseguimos avançar sobre a questão de carreira e necessidade de concursos”, disse Ana Magni, diretora da executiva nacional do ASSIBGE-SN.

Quanto à principal reivindicação dos grevistas, a reintegração de 189 funcionários temporários que não tiveram seus contratos renovados por terem aderido à paralisação, o sindicato declarou que ficou decidida a realização de uma campanha para que voltem às suas funções, com denúncia pública, apoio financeiro e jurídico da categoria.

“Houve uma intransigência muito grande da direção do IBGE em relação à reintegração desses temporários. É uma afronta a um direito garantido por lei, o direito de greve”, avaliou Ana.

O ASSIBGE-SN comunicou ainda que mantém a orientação de que servidores exijam melhores condições de salários e trabalho.

Pesquisas

A greve de servidores impediu a divulgação da taxa de desemprego para as seis principais regiões metropolitanas do país, apurada pela Pesquisa Mensal de Emprego. Os dados de Salvador e Porto Alegre não ficaram prontos a tempo por dois meses consecutivos, referentes a maio e junho. A coleta de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) também foi prejudicada em seis estados. A Diretoria de Pesquisas do IBGE realiza um levantamento dos trabalhos que foram prejudicados pela paralisação.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.