Veneri pede explicações à Copel sobre mudança de posição acionária na Sanepar

O líder da bancada do PT, deputado Tadeu Veneri, questionou nesta terça-feira, 20, o motivo que levou a Copel a abrir mão da participação majoritária no Consórcio Dominó na recomposição realizada nos últimos dias na companhia. A Copel perdeu uma diretoria no Conselho de Administração da Sanepar para a Andrade Gutierrez, que passou a controlar 51% do Consórcio contra 49% da Copel.

No processo de conversão de 85, 9 milhões de ações ordinárias em preferenciais, o equilíbrio de forças dentro do Consórcio foi alterado. Antes do processo de conversão de ações ordinárias e preferenciais ocorrido em abril, a Copel detinha 45% das ações do Consórcio e a Andrade Gutierrez outros 27,5%. O terceiro participante do Consórcio, a Daleth Participações, tinha 27,5% . Com a saída da Daleth, que converteu todas as suas ações ordinárias em preferenciais, a participação ficaria em 62% para a Copel e 38% para a A.G. Porém, não foi o que ocorreu, já que a Copel fez conversão de ON em PN em quantidade maior que a Andrade Gutierrez. Essa operação inverteu as posições dentro do consórcio com a Andrade Gutierrez passando a ter 51% do Consórcio e a Copel 49%."O que está por trás dessa operação?", questionou o deputado Tadeu Veneri.

A mudança de posição da Copel no Consórcio também fragilizou o controle público da Companhia, já que a Andrade Gutierrez passa a deter duas vagas no Conselho de Administração, quando antes, só tinha uma. A outra era da Copel. "A Empresa abriu mão para receber mais dividendos? E não avaliou a estratégia de gestão dentro da Sanepar?", indagou. Se a Copel não tivesse feito a migração das suas ações, a empresa teria 70% do Consórcio Dominó. Governo do Estado e Copel poderiam ter o maior número de diretorias da empresa.

A bancada do governo, maioria em plenário, rejeitou por 25 votos a 12, requerimento convidando o Diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Copel, Antonio Sergio de Souza Guetter, para comparecer à Assembleia Legislativa e explicar para os deputados as razões da operação.

Fonte: Boletim informativo do deputado Tadeu Veneri.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.