Funcionários dos Correios ameaçam nova greve

Os trabalhadores dos Correios decidiram ontem entrar novamente em "estado greve" porque a empresa estaria retaliando aqueles que participaram do movimento que durou 22 dias e foi encerrado em 10 de outubro. Por enquanto, as correspondências continuam sendo entregues normalmente. Segundo o secretário de Comunicação e Imprensa do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom-PR), Wilson Dombrovski, no dia 28 de outubro será realizada uma assembleia de avaliação que pode decidir por uma nova greve. Ele disse que a empresa tem remanejado funcionários para trabalharem em locais distantes. E que essa medida vem sendo avisada em cima da hora.

Por meio da assessoria, os Correios alegam que foi programado o remanejamento temporário de empregados para unidades com maior volume de objetos postais em atraso. O objetivo seria normalizar a entrega de cartas e encomendas até o final desta semana. A empresa informou também que é prática comum o deslocamento de empregados para apoio operacional sempre que há aumento pontual de entregas em determinadas unidades. Quando a greve terminou, de acordo com a assessoria, havia 1 milhão de objetos acumulados para serem entregues no Paraná. Na última segunda-feira, este número já teria caído para 600 mil.

Os trabalhadores conseguiram 8% de reajuste nos salários e 6,27% de aumento no vale-alimentação e demais benefícios, além da manutenção do plano de saúde, em julgamento do dissídio pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). A reivindicação inicial dos trabalhadores era 10% de reajuste nos salários, mais R$ 100 de aumento linear e 10% de reajuste nos benefícios.

 Fonte: Folha Web.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.