Reajuste dos porteiros e zeladores pode ir à dissídio coletivo

A discussão sobre o reajuste dos porteiros e zeladores dos condomínios de Curitiba, que teve a greve suspensa, está longe do fim. Ontem em uma audiência de conciliação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR), ficou estabelecido o prazo de 20 dias para que os trabalhadores apresentem a reivindicação ao sindicato patronal, que terá mais 10 dias para apresentar a defesa. Após esse período, nova audiência de conciliação será marcada no TRT-PR na tentativa de finalizar o Dissídio Coletivo impetrado pelo sindicato dos trabalhadores. 

O reajuste salarial almejado pela categoria é de 15%. O sindicato patronal alegou ter feito várias concessões ao longo de 25 reuniões realizadas desde setembro do ano passado, sem que houvesse na presente data continuidade nas negociações. Com o prazo que terá para fazer a defesa no processo (20 dias), o sindicato apresentará por escrito as análises de cada reivindicação com a devida proposta.

Fonte: Bem Paraná.

1 comentários:

E pelo visto o nosso também, pois para uma categoria com salários inciais abaixo do praticado pelo mercado e com uma defasagem superior a 18% não teremos nada a perder...

Quero ver a empresa se explicar nos tribunais e convencer a todos que esta sem condições de proporcionar a seus empregados um reajuste superior a esta proposta mesquinha depois de mais 32% de reajustes nas taxas de água e esgoto.

Sem falar que a este PCCR só beneficia o alto escalão.

Vamos lá! Menos de 18% é greve e/ou dissidio.

Postar um comentário