ACT 2015-2016: agora a negociação começou pra valer!

E a negociação do ACT 2015-2016 começou a todo vapor! Ontem (5) estivemos reunidos com a Comissão de Negociação Coletiva da Sanepar das 09h30 da manhã até às 18 horas. Foram mais de sete horas de muita conversa, onde discutimos item por item da nossa pauta de reivindicações.

Claro que a reunião já começou com a alegação feita pelo diretor-administrativo da Sanepar e presidente da Comissão, sr. Francisco Farah, de que ele teria pouca margem de negociação e praticamente nenhum percentual para discutir com os sindicatos, o que, de acordo com ele, se deve à determinação do Governo de ‘fechar a torneira’ neste ano.

Independentemente disto, o Saemac se posicionou de maneira bastante firme para defender aqueles itens que são imprescindíveis para a nossa base de trabalhadores: o ganho real, a correção acima da inflação para o vale-alimentação, a melhoria significativa da gratificação de férias e do reforço alimentar, a extensão dos benefícios auxílio-creche e auxílio-babá para todos os saneparianos, e a avaliação do ‘desempenho’ dos trabalhadores, considerando que este ano a maioria tem o step por antiguidade.

Solicitamos ainda que o adicional de penosidade passe a contemplar os trabalhadores da Ouvidoria e da URCE, já que eles desempenham atividade de atendimento ao público e 'batemos o pé' quanto ao adicional de escala, que em negociações anteriores 'ficou de ser visto' e até agora NADA! E nada mais justo do que conceder este adicional aos saneparianos que trabalham, muitas vezes, em finais de semana e feriados. 

Outro item muito discutido foi a estabilidade no emprego, e sobre isso o sr. Farah já sinalizou a possibilidade de inclusão neste Acordo Coletivo de Trabalho. O PDV foi outra questão levantada e, apesar da Comissão não ter nos informado nenhum valor, garantiu que ele sairá ainda no 1º semestre deste ano.



O plano de saúde também foi tema central das nossas discussões, e se mostrou bastante preocupante. De acordo com os representantes da empresa que estavam na reunião, se não houver um reajuste no SaneSaúde vai se tornar inviável a manutenção do plano. Diante deste cenário, ficou claro também que, neste momento, será muito difícil a inclusão daqueles que ingressaram na Sanepar a partir de março de 2002.

Após ouvir a explanação da Comissão a respeito do SaneSaúde, o Saemac questionou:  por que tudo o que acontece na Sanepar é sempre ‘por baixo dos panos’? E por que quando o trabalhador descobre, já é tarde demais? Como e porquê chegamos à essa situação no nosso plano de saúde? O que está acontecendo na Fundação Sanepar? Tudo isso, de acordo com os integrantes da Comissão, será explicado. A ‘caixa preta’ será aberta para nós em breve...

Enfim... É claro que, como em toda reunião de abertura das negociações do ACT, a Comissão disse que só conseguirá nos dar um posicionamento mais efetivo a respeito da nossa pauta após o fechamento da primeira rodada de negociações, que acontecerá com todos os sindicatos da categoria ao longo deste mês.

8 comentários:

"Claro que a reunião já começou com a alegação feita pelo diretor-administrativo da Sanepar e presidente da Comissão, sr. Francisco Farah, de que ele teria pouca margem de negociação e praticamente nenhum percentual para discutir com os sindicatos, o que, de acordo com ele, se deve à determinação do Governo de ‘fechar a torneira’ neste ano."

Muito me preocupa essa parte do texto, já deixou claro que não haverá muita negociação.

Se o sindicato for firme e forte, essa margem vai bem longe.

Complementando o que o nobre colega Sanepariano postou acima segue trecho do discurso (feito em 03/03/15) do novo presidente da Comissão de Negociação Coletiva, sr. Francisco Farah retirada do próprio site do SAEMAC:
"nós conquistamos avanços nos últimos anos e que o mais importante neste momento de crise econômica no país é garantir o que já temos...".
Tirem suas próprias conclusões...

.
Discurso do novo presidente da Comissão de Negociação Coletiva, sr. Francisco Farah retirada do próprio site do SAEMAC...

Traduzindo "Em tempos de "crise" que até direitos já adquiridos - no caso dos professores e servidores estaduais - quase foram tirados, é melhor garantir o que possuímos, sentarmos em cima do rabo e darmos por satisfeitos..." É isso meu povo!

Deveria de aumentar o adicional de penosidade, coitado dos leituristas e atendentes que sofrem com a fúria do povão e recebem o menor adicional de toda sanepar.

Resumindo, levantem as mãos para o céu se nos pagarem o mesmo do ano passado. Sobre a avaliação não vai ter, e este mesmo responsável pela negociação disse que " se não houver, será pago 100% retroativo a janeiro" e ae?

Crise estou eu. A empresa faturou R$ 421.586 milhões. Alguns milhões a mais do que o lucro de 2013, que foi de R$ 402.904. E sabem quanto será repassado para os acionistas? R$ 199.986 milhões.

Postar um comentário