Saneamento Básico no Brasil é tema de discussões em Brasília e em Curitiba

Em nosso País, o Saneamento Básico passa por um momento turbulento. Recentemente, sem argumentos que justificassem sua urgência, o Presidente Michel Temer editou uma MP (Medida Provisória), a de número 844/2018, que tem o objetivo de entregar a prestação dos serviços de saneamento em nosso país nas mãos do setor privado, criando grande procura pelas cidades maiores e mais rentáveis, enquanto as cidades menos lucrativas vão acabar nas mãos do setor público, que sem o mecanismo de subsídio cruzado não terá condições de investir para desenvolver e realizar as melhorias necessárias. E mais uma vez os prejudicados serão os moradores de baixa renda que terão que arcar com aumento das tarifas e um serviço de péssima qualidade.


Seguindo na luta em defesa do saneamento e contra todas as formas de privatização, está sendo realizada na sede do Sindicato dos Urbanitários, em Brasília, a reunião da Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental - FNSA, com a presença de diversas entidades ligadas ao setor, entre elas o SAEMAC, que está sendo representado pelo Secretário Geral da Entidade, Senhor Rodrigo Picinin.

As atividades tiveram início na manhã de hoje (07) e seguem até quinta-feira (09). Neste período serão tratados de diversos assuntos, em especial, a MP 844/2018 para a qual haverá a tentativa de uma audiência com o Presidente do Senado, Eunício Oliveira, com o objetivo de solicitar a devolução da MP, já que não se justifica urgência da iniciativa, bem como serão traçados planos de ação para buscar reverter essa questão que representa um retrocesso sem precedentes para o nosso país.

Neste mesmo sentido, foi realizado no dia de hoje uma Audiência Pública do Saneamento na ALEP, em Curitiba, com participação do SAEMAC e demais Sindicatos de representação na SANEPAR.



Todas estas iniciativas visam garantir que o setor de saneamento em nosso país permaneça sob o domínio público, acessível à população e de qualidade.

Precisamos progredir e não sucatear o setor, entregando-o nas mãos da iniciativa privada.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.