Eleição para Representante do Conselho de Administração da SANEPAR

Mais uma vez a Diretoria da SANEPAR mostra suas “GARRAS” quando se trata de Direitos dos Trabalhadores e em prejuízos a estes.

De forma sorrateira, vem tomando atitudes que visam prejudicar seu quadro de trabalhadores no que diz respeito à eleição para representante destes no Conselho de Administração da empresa. 

Acontece que no Regulamento referente ao certame, consta da exclusão de trabalhadores que exerçam cargos em uma Organização Sindical, caracterizando uma afronta às Leis ora vigentes.

Enquanto a Lei 13.303, de 30 de junho de 2016 permite que, para evitar interferência política, inclusive Sindical, os membros do Conselho de Administração deverão ser indicados pelo Controlador, ou seja, Quadro Diretivo da Empresa, a Lei 12.353, de 28 de dezembro de 2010, trata especificamente da obrigatoriedade da participação das Entidades Sindicais no Processo Eleitoral dessa natureza, inclusive com candidaturas para Representantes dos Trabalhadores.

“Imperioso a análise legal de que, ao elaborar o Regimento do Processo Eleitoral, a Sanepar simplesmente fez um recorte da Lei 13.303/2016 e colou no seu Regimento, sendo que o trecho recortado dispõe sobre os membros do Conselho que são indicados, e não os eleitos”.

Observamos então que a SANEPAR vem impondo regras ilegais e imorais, simplesmente com um único objetivo: inviabilizar a candidatura do companheiro Elton Evandro Marafigo, atual Representante dos Trabalhadores junto ao Conselho de Administração da SANEPAR.

Isso demonstra que a Diretoria da SANEPAR, quer a todo custo, “enfiar goela abaixo” o candidato dela, que faça o jogo que ela pretende, lendo sua “Cartilha”, nada se importando com o Quadro de Trabalhadores, principais responsáveis pelo crescimento, desenvolvimento, sucesso e reconhecimento da empresa, tanto a nível nacional, quanto no exterior.

Essa diretoria não quer ter um representante dos trabalhadores que vote contra certas aprovações de projetos e tomadas de decisões em prejuízo aos trabalhadores e da própria empresa, como por exemplo, Redução do Quadro de Trabalhadores Efetivos, Transferências Destes, Terceirização Desenfreada das Atividades da Empresa, dentre outras que poderão colocar em cheque o bom andamento dos trabalhos.

A Diretoria da Companhia de Saneamento do Paraná bem sabe que os Representantes Sindicais que se dispõe a representar os trabalhadores junto ao Conselho de Administração e ademais, possuem formação e conhecimentos necessários e dessa forma têm voz ativa para tentar barrar tais questões, tornando-se assim, uma pedra no sapato na implementação de medidas prejudiciais tanto aos trabalhadores, quanto ao desenvolvimento e crescimento da empresa.

Só isso explica o fato de querer se fazer valer de regras com total e absoluta incoerência com as leis.

Portanto companheiros trabalhadores, não deixemo-nos enganar pelas falsas promessas destes “Lobos camuflados em peles de Cordeiros”. Que nos desculpem os Cordeiros!

Precisamos reagir a essas e outras possíveis investidas e unidos, trabalharmos para elegermos um representante que de fato, interceda e lute pelos direitos dos trabalhadores.

Arregacemos as mangas e vamos à luta!

0 comentários:

Postar um comentário