Reforma Trabalhista: agora é pra valer!


Parece mentira, mas a Reforma Trabalhista idealizada pelo governo golpista de Michel Temer agora é realidade e, diga-se de passagem, uma triste realidade. Criada baseada em mentiras para iludir o povo brasileiro e em princípios que ferem a constituição do país, ela vem à tona com objetivos claros de fortalecer a classe patronal que, a partir de agora, poderá “explorar” com mais afinco a mão de obra do trabalhador, já que as negociações de férias, jornada de trabalho e intervalo intra-jornada, entre outros, poderão ser negociados de forma individual, não havendo mais a necessidade de se fazer em âmbito coletivo. Lembrando que isso tudo não se aplica a todos os trabalhadores.

Tais argumentos podem até parecer atrativos, porém estas mudanças, o negociado passando a valer sobre o legislado, não trazem vantagens, pelo contrário, tornam precárias as condições de trabalho,  pois no final das contas você vai trabalhar mais, descansar menos e seu salário se desvalorizará com o tempo,  além, é claro, de enfraquecer os trabalhadores nas negociações, já que estes não tem condições de se colocar em pé de igualdade com os patrões, e muitas vezes, até por desconhecimento e necessidade, acabam se sujeitando a aceitar qualquer proposta, mesmo que essa, a médio ou longo prazo, lhes tragam grandes prejuízos. Isso sem falar em todos os direitos conquistados com muita luta ao longo dos anos, que agora são colocados em cheque e podem ir por água abaixo se nada for feito. Agora, mais do que nunca, é necessária à união dos trabalhadores junto à entidade sindical para manter as conquistas, representatividade e legitimidade. Quem é sindicalizado está amparado nessa luta, e irá contar com toda a orientação para que não seja lesado. Portanto, em caso de dúvida, não assine e não aceite nenhum tipo de acordo sem antes buscar um respaldo do sindicato sobre tal. Se você ainda não se sindicalizou, não espere ser enganado para correr atrás dos seus direitos, pois certamente os prejuízos serão ainda maiores e difíceis de reverter. 

Clique aqui para acessar a ficha para realizar a sua filiação ao Sindicato. 

Lembrem-se, juntos somos mais fortes!

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.