Guardas municipais paralisam as atividades em Curitiba

Os guardas municipais de Curitiba promovem uma paralisação nesta quinta-feira (20), com uma manifestação pública na Praça Tiradentes, no Centro da capital. O sindicato que representa os trabalhadores diz que cerca de 800 agentes, de um efetivo de 1,5 mil, participam do protesto. Eles pedem, principalmente, que a categoria tenha um plano de carreira, cargos e salários; melhorias na academia da Guarda Municipal e a instituição de um estatuto para a corporação.

A paralisação começou por volta das 9 horas da manhã, conforme informações do Sindicato da Guarda Municipal de Curitiba (Sigmug). Até esse horário, os guardas teriam trabalhado normalmente. A partir de então, começou o protesto e o presidente da entidade sindical foi chamado para uma reunião com a prefeitura. Nessa conversa ficou acertado que os itens seriam levados em consideração e sua viabilidade discutida entre poder público e guardas.

O resultado da reunião passou a ser apresentado aos membros da categoria pelo sindicato e deve passar por análise ainda nesta manhã de quinta-feira. O rumo do movimento e o retorno dos policiais ao trabalho depende do resultado dessa votação. Não está descartada a possibilidade de os guardas permanecerem de braços cruzados durante a tarde.

Outro lado

A Prefeitura de Curitiba informou, em nota que “a criação de um Plano de Cargos e Salários (a ser enviado à Câmara de Vereadores até o dia 2 de junho) foi um dos pontos acordados na reunião realizada na manhã desta quinta-feira (20) entre a Prefeitura de Curitiba e o Sindicato da Guarda Municipal de Curitiba (Sigmuc).” O órgão disse que também foram acertados “a ampliação da competência da categoria, a construção da Academia da Guarda e a criação de uma corregedoria específica para a corporação.”


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.