Bancos e Correios permanecem em greve

A semana começou com bancos e Correios ainda em greve. De acordo com lideranças das duas categorias, ainda não houve resposta por parte da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). "Continuamos (em greve) firmes e fortes", declarou Wanderley Crivellari, presidente do Sindicato dos Bancários de Londrina e Região.

De acordo com a Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito do Paraná (Fetec), para esta semana ainda não houve agendamento de negociações do comando nacional de greve com a Fenaban, segundo a secretária de imprensa, Clair Antoniete. "O comando nacional de greve enviou uma carta para a reabertura das negociações, mas até agora não obteve resposta".

A Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) esteve ontem concentrada em Brasília à espera que a ECT avaliasse a contraproposta protocolada na última sexta-feira. De acordo com o secretário de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sinticom-PR), Wilson Domborovski, um ato em Brasília está programado para o próximo dia 3 para que as negociações sejam retomadas.

Liminar

O HSBC obteve uma liminar na Justiça que impediu, desde ontem, que os grevistas de Curitiba e região, envolvidos na paralisação dos bancários, bloqueiem ou impeçam a entrada de funcionários em agências, o que pode fazer com que algumas unidades reabram. É o terceiro banco a obter a liminar. Bradesco e Itaú já haviam obtido o interdito.

O banco conseguiu um interdito proibitório, no qual a Justiça determinou que os bancários, reunidos em piquetes em frente às agências, não impeçam os funcionários de circularem pelos locais. Isso, na prática, permite que os trabalhadores tenham acesso ao local de trabalho e o banco possa reabrir o local caso os funcionários decidam trabalhar.

O piquete é chamado pelo Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Metropolitana como comissão de esclarecimento e tem como objetivo ser um meio de convencimento ao trabalhador aderir à greve e impedir que os funcionários sejam demitidos em caso de ausência no local de trabalho, quando se trata de bancos privados. Até ontem, de acordo com o sindicato, em Curitiba e Região Metropolitana 339 agências bancárias estavam fechadas. No Paraná, o número chega a 781 agências sem funcionamento, segundo a Fetec.

Fonte: Folha Web.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.